O Pendurado

O Pendurado é número XII dos arcanos maiores.

Na imagem observamos a um homem, pendurado polos pés, dumha corda sostida nas raices de duas àrvores.

Tem a perna esquerda formando um triángulo por detrás da dereita, os braços detrás do corpo e a cara tranquila.

O pendurado simboça aqueles momentos da vida na que umha pessoa tem que lhe dar volta às suas atitudes, às suas tendéncias e mesmo à sua escala de valores.

Tem que deixar de viver no ar da ficçao superficial  e sujeitar os pés à terra, às raices que simboliçam a Natureça, a vida no seu senso mais auténtico e inverter todos os seus esquemas vitais.

É um naipe de renovaçao interior, de conexao com a vida, de mudança a nível mental e atitudinal.

É o mito de Odim, pendurado da àrvore da vida Ygdrasil, da que aquí jà falamos antes.

Hà que ter o valor suficiente, em certos momentos da vida, para mudar os chips do reconhecemento dos demais, da imagem social, e de todas essas cousas que tanto nos preocupam, para volver a ser nós mesmos, com todas as consequências.

Os que nos abandonem, será porque, em realidade, nao nos queriam a nós; só a umha imagem de nós reflectida num espelho falso.

Totems

 

Os totems adoitam ser animais que representam a umha comunidade ou mesmo a um indivíduo.

Na nossa cultura, racional e solar, nao temos em conta estas cousas que outras culturas mais ligadas com a psique inconsciente tem.

Mas eu posso vos asegurar que eu descubrí meu animal totem e que, com ele, viajei a mundos maravilhosos.

E que conste que nao tomei mem umha substáncia que alterase a minha percepçao . Só hà que o chamar, ao carom do lume, -agora com o Sao Joao é boa  ocasao-, cum som animal quaisquer.

Se vos sentades arredor da fogueira da tribo,-a tribo das sardinhas asadas,digo- e provades, por exemplo, a ouvear coma um lobo, pode que o vosso animal totem vos ouça e desperte, e suba à parte de acima, e vos leve por aí, com ele, a ver o mundo desde os seus olhos.

Pode que o animal totémico nao se apresente assim, no intre, mas se o chamades, quaisquer dia pode vos surprender, olhando o mar, ou passeiando polo monte, ou à beira do rio, e entao saberedes que é ele, o vosso tótem, o que fica no fundo do  poço da vosa conciência e vos transmite um jeito peculiar de ser.

Eu conheço serpes, crocodilos, lobos, tigres, baleias…

Eles nao sabem, mas guardam umha semelhança inquestionável com seu totem. Nos comportamentos, nas atitudes, e mesmo, às vezes, no físico.

Probade a olhar aos vossos conhescidos, a ver que animais totémicos atopades.

Tava cantado

Pois esso. Que acertei. Que nao me falhou a minha intuiçao feminina.

Que tudo saiu como eu vos disse.

A partir de agora, a ver os títeres entre o alcalde feudal e a senhora dos balneários.

Amem.

A minha aposta

 , ,

Que conste que nao sou afeiçoada ao jogo, nem muito menos a apostar, mas após de tantos comentários, ruxe-ruxes, manobras e demais, eu vou fazer a minha aposta:

Tristemente, no nosso concelho, as cousas nao vao melhorar amigos. Mas parece tudo o contrário.

Para mim, simple observadora, e visto o visto, o meu pronóstico é:

Em Vimianço vao seguir governando as famílias que representam ao PSOE, com a aquiescência do PP, esso sim, “discreta” -alianças negociadas umha por umha-e seguirá havendo ledícia e prosperidade no reino feudal outos quatro anos mais.E jà vao 27…

Quedam três dias. Jà falta pouco. Mas quase juraria que esso vai passar.

Cada um vota-se a sim mesmo para alcalde, alcaldia para os de sempre, pactos com o PP para seguir nas mesmas-o PP também participa no ágape – E…Tudo pior ca antes.-Agora a déveda jà é  de 1.700.000 euros. Para um concelho de 8.400 habitantes, nao ta nada mal. Até onde podem chegar…?-  Agás para eles, claro.

Assim é a política no meu concelho, baixo o meu ponto de vista.

Que nao é política, sao intereses e muitos euros em jogo.

Os partidos consintem e olham para outro lado, quando os cidadaos nao tem o empuje suficiente.

E é o que hà.

É umha opiniao, nada mais. Mas podedes seguir a quiniela, porque, por desgraça, o coraçao e a cabeça dim-me a umha que vai ser assim.

Tudo fixe

 

Jà podedes entrar no blogue do Asalto ao Castelo. Tudo fica jà organizado: O Programa, o cartaz, os grupos…

Parabéns aos socios de Axvalso que levam trabalhando arreio cada domingo.

Vai ser um éxito. Veredes quantas cousas tem organizado.

Tempo de mintireiros e cabaços grandes

O domingo, saiu em “La Voz” umha nota do senhor alcalde que semelhava de despedida, polo tom de vitimismo e justificaçao que se desprendia. Até chegou a dizer que ele ia embora tao pobre como entrou, e que tinha a c asa sem rematar.
Onte seica saiu na rádio a dizer que nao dimitia passe o que passe.

Eu nesse peto nem tiro, nem meto, mas, senhor alcalde, nao deberia você ser tao duro de cara e dizer as cousas como sao.

Dizer, por exemplo, que, dende hà 23 anos o seiu irmao é o único que leva todos os suministros e serviços -maquinária e mesmo as “obras faraónicas” das que você tanto falou na campanha eleitoral-do concelho, o que implica surtir de materiais que leva cobrando, quando menos, um 50%mais caros que quaisquer outra empresa do concelho ou de fóra dele. Bote-lhe a conta no dedo e verá a fortuna que leva amassado a conta das arcas municipais. 23 anos…

Também que, nos vintatrês anos que você leva de alcalde todos os novos empregados-as municipais que entraram-arredor de douscentos- sao tudos das mesmas famílias relacionadas com você e que todo o mundo sabe quem vai entrar antes de fazerem proba, oposiçao ou contrato.

Os filhos dos demais andam a mover as canelas por aí adiante para procurar um salário em condiçoes de sindicato vertical-dez horas de trabalho, sem vacaçoes nem pagas extras na maior parte dos casos por 700 euros ao mes nas empresas quer temos na volta ou, se nao querem aturar, emigram .

Os filhos das “famílias” nao precissam. Tem posto no Concelho.

Poderia dizer muitas cousas mais a respeito das suas palàvras. Mais nao quero me meter em liortas.

Se lhe digo a verdade, nem sequer ía dizer nada, mas as suas palàvras precem-me um insulto à inteligéncia da cidadania de Vimianço. Tontos nao somos e o dedo nao chupamos dende hà tempo.

Aviso a navegantes. Recibido por e-mail

ENRÉDATE NA REDE.Varios artistas galegos danse cita este venres, día 8, no Teatro Principal de Santiago de Compostela,

nunha festa de apoio á Rede de Acción Socio-Cultural Arredemo. A festa ten por obxectivo

recadar fondos para o novo proxecto do Portal de Comunicación Arredemo, portal de

información libre e independente ao servizo do tecido socio-cultural do país, e contará coa

presenza de Quico Cadaval, Narf, Chévere, Clara Gayo, Pista Catro, Os da Ría, e Carlos

Santiago.

Durante a festa darase a coñecer a Asociación que dá base ao Portal, e que ofrece distintos

servizos a persoas e colectivos do eido socio-cultural, como o aloxamento de webs, a libre

distribución de creacións artísticas e o desenvolvemento de proxectos sociais e culturais.

A Rede de Acción Socio-Cultural Arredemo presenta así públicamente o seu terceiro proxecto,

despois de case catro anos de actividade, nos que se constituiu como unha referencia dentro

dos movementos sociais e culturais galegos. A festa é o primeiro acto dunha campaña

destinada a impulsar a creación do novo Portal de Comunicación, xa en fase de deseño e

construción, e conta coa participación desinteresada dos artistas convidados. No Teatro

Principal a partir das 21 h.

Entrada 5 Euros
Venres 8, 21:00h no Teatro Principal

http://arredemo.info

Difunde por favor esta mensaxe,  para que o venres 8 esteamos todos e todas no Teatro.

¡Adiante Arredemo!

tempo de “chalaneo”

O de “chalaneo” é umha palàvra do nosso alcalde aparecida hoje em “La Voz”
Após de todos os procesos anteriores, agora o que circula polo povo e pola prensa, sao novas de regateadores. Ou “Chalaes” Em tudo mercado como deus manda, tem de haver.

Pois parece que a senhora do balneário faz-lhe asinar aos seus companheiros de lista eleutos un documento onde se comprometem a nao se transfugar à hora de votar ao novo alcalde.

Muita confiança nao parece haver.

Logo também se sabe que o governo municipal em funçoes – Peço desculpas, mas seica nao fui o governo, mas a UGT -reuniu aos arredor de dous centos de empregados municipais por primeira vez para falar com eles, nao se sabe de que.

Por outra banda, os dous partidos em jogo para pactar, dim que nao o faram se nao dimite o alcalde atual.

Em fim. Ja vedes que tudo sao especulaçoes, ruxe-ruxe e novas interesantes cada dia. Quando chegue o 16 e tudo se aclare, ainda imos botar de menos estes aires de regateio que, dito seja de paso, resultam quando menos, entretenidos para os que nao temos negócio no asunto ainda que nao por esso sejamos neutrais.

Pola comarca andam também muito entretidos.

Em Sás, umha das concelheiras eleutas disque pediu, para dar o apoio a um dos partidos, um salário mensual de 250.000 e umha prima de 5.000.000 das antíguas pesetas.

Sendo perguntada polo partido em questao de onde iao tirar os quartos, a senhora, com boa lógica, seica diz:

-Das obras, coma tudos, ou que?

Seica algúm vizinho nao o ve mal. “Algo tem que aproveitar” Ou nao?

Pareceser que outros dous cabeças de lista de dous partidos, nao podem pactar por terem pendente um juiço por aguerrearem a punhadas num bar da vila de Sás antes das eleiçoes e por motivo destas.

Em Cée nao sei se se puxeram ou nao de acordo, e tampouco em Corcubiom, que como ando com as neuronas baixas e nao saio da casa nem leio a prensa a miudo, pois abondo tenho com meu povo.

O de Sás seica é “vox pópuli” e por esso me enterei.

Assim sao as cousas por este val redondo do que o nosso alcalde, perguntado polo valor duns penedos que formam parte do nosso património natural, diz umha frase que seica fica acunhada na Diputaçao da Corunha com a celebridade que se merece:

“As pedras son pedras”.

Pois esso.

Tempo de mercadeio

 

Jâ vos disse na entrada anterior que em Vimianço, após de quase vinte anos governados pola mesma maioria absoluta esta perdeu-se.

Jà vos podedes imaginar o que esso significa. Digo os anos de maioria absoluta no mais completo absolutismo feudal.

Agora perder essa maioria é umha tragédia-económica sobre tudo- para alguns e algumhas e mesmo para famílias enteiras.

Pois agora vem, como cómpre, o tempo do mercadeio.

E até hà quem diz quantidades astronómicas por mercar um voto que falta para a maioria absoluta nas listagens de outros partidos.

Eu nao digo que sim, nem que nao, porque nada vi.

Só digo que hà que aguardar ao dia 16 e que tudo se verá.

Polo povo jà hà quinielas.

Eu, de momento, nao vou dizer nada, porque nao gosto de cisanhar.

“Será una rosa,será un clavel?